A discussão sobre “mitos da dança do ventre” é um assunto relativamente fácil de encontrar em diversas páginas na internet, sejam brasileiras ou gringas. Sendo assim, porque, Anath, escrever mais um? Te digo o porquê:

O ano é 2016. E, como em muitas outras coisas da Vida, do Universo e Tudo o Mais, as pessoas insistem em generalizar e propagar estereótipos e preconceitos sobre coisas que não tem conhecimento.

tumblr_mraarvdv0F1qir88ko9_250

Portanto, considero um assunto básico e muito bacana para expor aqui, em especial às pessoas que não sabem nada sobre esse estilo de dança. O foco é na Dança do Ventre, mas certamente se aplica ao Tribal Fusion também. Obviamente não conseguirei abordar todo e qualquer aspecto sobre o assunto, então, fikdik: na dúvida, pergunte! Seção de comentários tá logo ali, se joga, miga.

Dança do Ventre dá barriga?

ÓBVIO que não. A Dança do Ventre, como qualquer outra dança, é uma atividade física, portanto, é muito mais provável que tu PERCA barriga do que ganhe. E mais: é possível inclusive afinar a cintura com essa modalidade, devido ao trabalho isolado dos movimentos de busto e quadril!

O que, imagino, faz com que esse mito se propague é o fato de que, em geral, as bailarinas ficam com a barriga de fora – logo, se alguma gordurinha que tu tem se escondia na roupa, aqui ela aparece – e por causa dos movimentos ritmados de quadril que, por razões óbvias, balançam o corpo, e podem dar a ILUSÃO de banhas extras.

E como as pessoas são humanas e não as modelos anoréxicas impostas pelo padrão de beleza, é muito mais provável que tu veja uma apresentação de dança do ventre cheia de barriguinhas balançantes, ao invés de modeletes sensualizantes, o que pode passar a errônea impressão de que toda dançarina é fofinha.

NOPE

Claro que pode acontecer de uma moça começar a praticar e engordar. Mas aí, meus caros, certamente foi por outros motivos. Ou ela está coincidentemente passando por algum período difícil da vida e tá descontando na comida, ou a dança fez tão bem pra autoestima dela que ela parou de se estressar com dietas! Hehehe

Só magras ou só gordas ou só jovens ou só quem tem quadril largo ou só mulher ou só quem tem cabelão pode praticar?

NOPE NOPE NOPE

A Dança do Ventre pode ser praticada POR QUALQUER UM!

Sim, isso merece caixa alta e ênfase. Me processem.

É a porra de uma atividade física e entretenimento livre pra ser praticada por qualquer pessoa, independente de seu tipo físico, idade, cor dos olhos, preferências políticas, sexualidade, comida predileta, bicho de estimação, série favorita, etc. etc. etc.

O peso, a idade e o tipo de corpo não impedem ninguém de praticar. A única coisa na qual estas características podem interferir com relação à dança é a saúde, pois, dependendo das condições físicas da pessoa, isso pode requerer cuidados ou algum tipo de restrição. Mas isso vale pra qualquer tipo de atividade, seja dança, musculação, caminhada, etc.

CAPISCE?

Com relação ao gênero, é um assunto razoavelmente polêmico e que divide opiniões. BÃT, na minha visão, a Dança do Ventre – assim como qualquer outra dança e blá blá blá – pode ser praticada por ambos homens e mulheres.

É inegável a essência feminina inerente à Dança do Ventre, mas eu não vejo isso como um impeditivo para homens, pois, na minha visão do ser humano, temos tanto um lado feminino quanto um masculino dentro de nós, portanto, homens podem se beneficiar desta dança de diversas formas, independente da vertente que forem praticar – e, principalmente, independente de sua orientação sexual.

Como esse é um assunto mais denso, deixarei para esmiuçá-lo e expor melhor a minha percepção dele em outra matéria, exclusiva pra isso.

Dança do Ventre é vulgar ou o único objetivo da Dança do Ventre é seduzir ou mostrar o corpo?

                Perante esses estereótipos, só consigo pensar: AFFFFFFFFFFFFF

hhh

Tá, vou dar um desconto. Como as pessoas são livres para fazerem o que quiserem com suas vidas e conhecimentos, é óbvio que sim, existem dançarinas que vulgarizam a Dança do Ventre, ou a usam para seduzir e/ou exibir-se. E não, não há NADA de errado nisso! O que quero passar aqui é que a DV (para os íntimos, hehe) é uma ARTE, que se desenrola em muitos tipos de usos, incluindo a atividade física, e que generalizar sua ação baseando-se em apenas uma que outra criatura é um erro.

Algumas pessoas deturpam essa arte, vulgarizando-a de um modo grotesco, enquanto outras, mesmo objetivando a sedução, por exemplo, o fazem de maneira maravilhosa. Mas isso é apenas uma pequena porcentagem (e outro assunto a ser discutido com maior detalhe) de uma área imensa. Portanto, NÃO GENERALIZE! A maioria das pessoas que pratica essa dança NÃO está atrás de seduzir alguém, de exibir-se ou algo do tipo (embora é comum moçoilas procurarem uma professora pra aprender a dançar pro namorado :p ).

A maioria procura por uma atividade física, por entretenimento, por terapia, por socialização, por aprender algo novo, pelo sagrado, pelo desafiador, pela libertação, pelo exótico. Os benefícios e usos são diversos! Liberte-se dos estereótipos e um mundo novo vai se abrir pra você.

É obrigatório o uso de lenços de quadril em uma aula de Dança do Ventre?

Bullshit. O que é obrigatório é que tu VÁ na aula, se quiser aprender. Hehehe

Como qualquer outra atividade física, é muito importante e recomendável o uso de roupas confortáveis pra fazer aula de DV – legs são o ideal, mas nada impede de usar uma saia, por exemplo – e os lenços de quadril não são de forma alguma ~obrigatórios~. São muito úteis, sim, tanto pra estética e autoestima da aluna quanto pra que ela e a professora possam observar melhor a execução dos movimentos.

Fato é: não deixe de ir numa aula de DV só porque está sem um lenço de quadril.

Ah, e não, não precisa ser lenço de moedas! Um cinto, echarpe ou mesmo um cachecol servem.

Dançarinas de Dança do Ventre estão sempre seminuas?

Nop.

Claro, este estereótipo é fácil de ser construído, pois, afinal, o figurino mais conhecido dentro da DV é composto por bustiê, cinturão, saia e barriga de fora. Mas não, os estilos variam muito! Existem aqueles que sim, um espirro e a bailarina fica nua, ou que tem grandes fendas na saia de forma a expor bastante as pernas… mas estes são os mais abertos. Os “clássicos” não são tanto, apesar de serem de modelo semelhante.

Além do figurino clássico, existem vestidos ricamente bordados, telas pra se usar junto dos bustiês e cinturões, e os figurinos folclóricos, que geralmente são bem recatados.

Dança do Ventre é fácil ou é muito difícil ou é sempre a mesma coisa ou é só rebolation?

Heh. Quem pensa assim certamente não sabia NADICA sobre a DV.

Quanto a ser fácil ou não, isso depende imensamente da pessoa, variando pra cada um. Não faz sentido tentar responder isso. Descubra você mesmo. 😉

Quanto a ser sempre a mesma coisa ou só rebolation, isso é argumento de quem não entende nada sobre a técnica e a arte, de quem acha que a DV é coisa vulgar, ou então só viu apresentações escrotas mesmo.

A DV possui um leque de técnicas e camadas de conhecimento e cultura tão grandes que tu nunca, NUNCA vai deixar de ser uma aluna. Por mais décadas que tu tenha nas costas, experiência e conhecimento, sempre vai ter algo pra relembrar, revisar ou aprender.

Quanto mais você aprender sobre, mais vai perceber que não, DV não é “sempre a mesma coisa”. Fikadik. 😉

A Dança do Ventre se originou dentro dos haréns dos grandes sultões ou era praticada por ciganos nas ruas que só queriam seduzir soldados e ganhar dinheiro ou surgiu como rituais à Grande Mãe ou surgiu a partir dos movimentos para auxiliar o parto?

SIM.

E digo mais:

NÃO.

Tá. Volta aqui, não se apavore. O que quero dizer é que todas as afirmações acima estão erradas, se tu procura pela real e única origem da DV. Ao mesmo tempo, todas são, em algum nível, verdadeiras.

Mas mas mas ma-

Calma, eu explico. Resumidamente, porque, claro, a origem da DV é um assunto à parte. O fato é que a DV, como conhecemos hoje, é extremamente nova, coisa do século XX! PORÉIIMM, suas raízes são muitas, diversas e antigas. Por isso que é comum ouvir por aí que a DV é uma “arte milenar”.

Não, ela não surgiu no Antigo Egito. Não, ela não surgiu nos haréns. Não, ela não surgiu com os ciganos. Não, ela não surgiu em rituais para a Deusa Mãe. MAAAAS, todas essas épocas/povos/culturas fazem parte das raízes dessa dança. Cada um contribuiu, de uma forma ou de outra, no que se congregou como “Dança do Ventre”. E claro, tem muita coisa relacionada à história da DV que não está muito clara, e que eventualmente divide opiniões.

Por hoje é só, folks. Se algo que abordei acima não ficou claro ou ainda deixou dúvidas, comentaí! E bora comentar outras dúvidas que tenham surgido, curiosidades, etc. 😉

Sobre o autor Anath Nagendra

"Uma criatura estranha, mergulhando dentro de si mesma e tentando voltar para oferecer algo ao mundo."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s