Debutando na escrita!

Como mencionei no post anterior, minha arte não se resume à dança. Brincar de escrever histórias não é exatamente uma novidade na minha vida – vários projetos sendo incubados e antigos – mas enfim trago o primeiro finalizado!

O conto “A Mulher Prateada” foi escrito no início de 2019, mas só agora me organizei para fazer a publicação independente na Amazon. 🙂

Sinopse: “Naomi, uma jornalista, visita uma cidade pequena para fazer uma matéria sobre desaparecimentos misteriosos na região, mas encontra dificuldades ao lidar com um delegado irritado com a presença da equipe. Sem informações, ela se vê obrigada a interrogar moradores sobre o que está acontecendo, e acaba se envolvendo em uma investigação que a faz questionar quem realmente é o vilão da história.”

Alerta de gatilho: insinuações de violência e estupro.

Confira aqui!

Arte focada, arte diversa

Ou também: correlacionando biologia, arte e sociedade! XD

Para surpresa de zero pessoas, 2020 foi como um trator passando em cima da minha vida, assim como o foi pra praticamente todo mundo, de diversas maneiras, com diversos obstáculos e desafios, e tudo indica que seu legado vai ser continuado em 2021.

Menos vocês, elite fascistinha de merda que só se importa com o próprio umbigo e que enriqueceu às custas dos outros. Se você não teve ao menos um pingo de depressão pelo estado do mundo, mesmo sentado em seus privilégios, é de você que tô falando. Você é o problema. E se você se irritou com isso, a carapuça serviu, fikdik.

Esse ano foi certamente regido pelo Arcano XVI, A Torre, que chacoalha nossas bases, destruindo as velhas estruturas pra dar lugar à renovação. Só ainda não sei se, para a humanidade como um todo, a Torre está invertida ou não. Tenham esperanças, crianças!

No meu caso, uma das coisas para a qual “serviu” esse ano, foi me fazer parar de bater a cabeça na parede e mudar minhas perspectivas. Ainda tô “reajustando” a minha visão, começando enfim a ter forças pra quebrar a casca do ovo, graças a descobertas sobre mim mesma que vieram à tona e literalmente me despertaram pra muitas coisas.

Continue lendo “Arte focada, arte diversa”