Galeria do Atelier

Aqui você encontra fotos e demais informações sobre minhas aventuras costurísticas e artesanais!

Clique nas imagens para ampliá-las!

2019

Coroa que produzi para caracterização de “Melinoë”. A “galhada” foi feita pela Petrus Brand, mas retirei-as da base, pra reposicionar e trocar a tiara. Adicionei pequenos galhos e correntes pra complementar. Os dreads também foram feitos por mim, mas há algum tempo. 

Figurino completo que produzi para meu grupo Agnipath! A composição das peças separadas permite uma boa diversidade de usos, como ilustrado pelas fotos. A saia clara é um crepe (se não me engano) em godê simples, a escura e o “capuz” são de lurex com elastano, e a saia é do mesmo modelo que a branca que fiz para a performance “Isa”, sendo apenas um retângulo costurado na medida do quadril.

Aqui, a produção foi mais focada nos acessórios. Utilizei um vestido, no qual tive de fazer ajustes pra ter um melhor caimento, e um cinturão do atelier Khalidah que modifiquei parcialmente. Substituí os acrílicos, e inseri vértebras nas correntes laterais. O bodychain e a coroa foram feitos por mim, utilizando metais, pedras e ossos diversos (todos coletados na natureza).

Figurino que fiz para o grupo Templo do Oriente, com inspiração burlesca! Exceto pela saia (as quais apenas encurtei), produzi o resto do zero.

2018

Figurino feito para o meu “debut oficial” como coreógrafa, com meu grupo Agnipath! Calça gênio (não me recordo o tecido), painel azul, maguinhas e cinturão de lamê. Colar e flor com feltro, e lã para os pompoms.

> A arte de improvisar um figurino: é comigo mesmo. Aqui, a composição é toda minha, mas o “top” e o “cinturão” nada mais são que dois retângulos de tecido em que me amarrei. A saia é caso semelhante, uma das mais simples que há: sem cortes, e com apenas uma micro costurinha na medida do quadril. Fica meio retona atrás, mas tem um efeito geral muito bonito. > Incrementos para um figurino incompleto e menor que seu número: “painel”/blusa frontal de malha, e tiras da mesma presas no acessório de pulso e lateral da saia.

2017

> Figurino completo de Tribal Fusion que fiz para um duo de alunas minhas. Calça gênio em malha (daquelas pesadinhas e geladinhas), lenço/xale de cetim bordado e aplicação de franja, top e cinturão com veludo rosa e argolas compondo. > Conjunto lilás feito totalmente por mim, para o Grupo Templo do Oriente. Baseado no modelo rosê (mais abaixo), fiz umas pequenas aplicações extras de uma apresentação para a outra.

Este rosê foi inteiramente feito por mim – saia sereia de 5 painéis em malha, top e cinturão com a mesma malha e renda rosa com elastano. Ele foi um teste para fazer para o Grupo Templo do Oriente, mas esta cor estava em falta quando retornei para comprar para as colegas restantes, então ficou só pra mim.

2016

A partir daqui, comecei a brincar mais com produções. Desde a apenas incrementar uma base já pronta, a costurar figurinos inteiros! Tudo de maneira amadora e ainda insegura, mas que foi cimentando minha percepção de que era capaz de seguir fazendo.

Este foi meu primeiro conjunto ~totalmente~ completo, que fiz para mim e duas alunas. Infelizmente não chegamos a estreá-lo. Foi uma aventura, cheia de pequenos probleminhas – como a altura da calça! Fiz uma espécie de “tornozeleira” pra compensar. Nestas fotos, que são do meu figurino, ainda faltam as correntinhas que iria inserir abaixo do top e no cinturão. O tecido vermelho brocado é um jackard, o top e cinturão foram forrados com cetim vermelho e renda preta com elastano em cima. O verde não me recordo, mas é firme e encorpado.

Figurino quase completo que fiz para o solo no Underworld Fusion Fest, em Curitiba! A calça (na verdade, uma calça-base e outra de renda por cima) foram feitas por uma costureira, e eu fiz, do zero, o top, cinturão, e o cinto de tiras.

Este roxo foi um dos meus primeiros figurinos completos feito por mim! Ou melhor, quase! hehehehe. A base do top e do cinturão são ambos do Atelier Zania Amaral, em cetim. Os bordados são meus, desta vez quase tudo costurado. A saia na realidade é 3-em-1, pois são independentes. Se não me engano, errei na medida da compra do cetim roxo, cujo godê não ia ser suficiente pra mim. Com a ajuda da minha mãe e avó, fiz três saias de godê simples, pra compor o efeito em camadas. A de baixo, mais comprida, é de um tecido tipo voal, ou musselini, seguida de um cetim sem elastano, e por cima uma renda grossa.

Este foi minha primeira vez bordando uma base já pronta. Top, cinturão e saia do Atelier Zania amaral, em veludo. Peguei o que tinha disponível em casa para montar, e gostei muito do resultado. Quase tudo foi colado, pois a maioria das peças não tinha furo para costura.

Modificação de calças/leggings. Cada uma do grupo forneceu uma legging, cortei fora o excesso abaixo do joelho e costurei duas camadas de godê, uma de voal (preto) e uma de renda (vermelha), para complementar um figurino moderno de Dança do Ventre pro Grupo Templo do Oriente. O top de veludo é do Atelier Joline Andrade, e as aplicações de metal e correntes são minhas. O cinturão é do Atelier Khalidah, mas o cinto com tiras é minha confecção.

2012 e 2015

No final do meu primeiro ano de Dança do Ventre, 2012, me joguei na aventura de forrar um top pra dançar meu primeiro solo. Ficou bem nhé, mas foi minha primeira experiência na arte de produzir o próprio figurino! (ainda que fosse só o top). Em 2015 foi a primeira vez que me arrisquei a fazer uma peça para um grupo! No caso, no que eu estava participando para o curso de Formação em Tribal Fusion. Por conta da falta de tempo e grana, optamos por cada uma montar o seu com o que tivesse à disposição, mas para poder ter algum detalhe homogêneo na estética, me ofereci para costurar calças estilo gênio! Não saiu perfeito, quase errei feio nas alturas, mas acabou funcionando. 🙂