Aqui você encontra fotos e vídeos dos meus solos de Dança do Ventre!

sosimby

2017 – Solo de derbak

Solinho de derbak improvisado e deliciosamente divertido, apresentado no Latir, Miar, Dançar! Apesar da minha costumeira frequência em improvisar, este certamente foi um desafio a mais, visto que solos de derbak tendem a exigir uma precisão maior na leitura musical. Mas gostei bastante do resultado!

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (improvised)
Música: “Sahra saidi”, Gamal Gomma
Estilo: Dança do Ventre – solo de derbak
Figurino: egípcio, atelier desconhecido
Evento: 4º Latir, Miar, Dançar, 2017
Filmagem: Leonardo Ferreira
Fotografia: Fernando Espinoza
Local: Cia da Arte, Porto Alegre/RS – Brasil

sosimby

2017 – Clássica

Solo semi-improvisado que apresentei no evento 3º Latir, Miar, Dançar!, que ocorreu em Porto Alegre, em 11/06/2017.

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (partially improvised)
Música: “Ya Bo Dhahkah Genan”, Farid Al Atrash (editada/edited)
Estilo: Dança do Ventre clássica / taqsim
Figurino: Atelier Zania Amaral, bordados por Anath Nagendra
Evento: Mostra beneficente 3º Latir, Miar, Dançar… está no coração!, 2017-1
Filmagem e fotografia: Fernando Espinosa
Local: Teatro Cia da Arte, Porto Alegre/RS, Brasil

sosimby

2016 – Clássica – taqsin

Meu solo de Dança do Ventre no evento da bailarina Hannyah, em 2016. Foi um solo em semi-improviso, ou seja, parcialmente coreografado, parcialmente improvisado. Com uma música que me é muito linda, acabei por dançar ao estilo taqsim, mais introspectiva, voltada a sentir as emoções afloradas.

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (semi-improviso/partially improvised)
Música: “Amar Andaluz”, Mokthar Al Said & El Ferka Mesaya
Estilo: Dança do Ventre clássica – taqsim
Figurino: Atelier Zania Amaral (bordado por Anath)
Evento: 1ª Mostra de Danças Hannyah Estúdio, 2016
Filmagem: Marcos Strapazon
Fotografia: Fernando Espinoza
Local: Studio de Danças Paulo Pinheiro, Porto Alegre

sosimby

2015 – Clássica – tarab

Neste solo clássico me desafiei – novamente – a dançar uma versão da famosa música árabe “Enta Omri”, considerada um “tarab” no meio.

O “tarab” na realidade não é um estilo de dança, e sim uma expressão que remete à uma entrega emocional muito forte. É como um êxtase emocional vivenciado pela bailarina, propiciado pela música, e que ela expressa da melhor maneira a seu público. Porém algumas músicas – como a Enta Omri – são tão poderosas emocionalmente que são consideradas um “tarab”.

Seria mais correto dizer que é uma dança “taqsim”. O taqsim refere-se a um determinado momento da dança clássica (que possui uma estrutura específica) que é mais introspectivo, emocional, em que a bailarina mergulha nas próprias emoções. Aqui a música inteira é como um longo trecho de taqsim, pois seu efeito na dançarina envolve todas essas características.

Assim, procurei mergulhar na beleza da música e dos sentimentos que ela gera em mim, expressando-os da melhor maneira que pude. E totalmente de improviso, pois coreografar músicas assim quebram um pouco de seu encanto. O “novamente” é porque eu dancei esta música, também de improviso, na avaliação do Curso de Formação em Dança do Ventre que fiz, com minha mestra Brysa Mahaila, em 2014. Porém, meus movimentos (mãos, principalmente) ainda estavam muito aquém. Aqui, consegui desenvolver melhor vários aspectos da minha dança. Mas nada se compara à delícia que é dançar esta música!

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (improviso/improvised)
Música: “Enta Omri”, Hossam Ramzy
Estilo: Dança do Ventre clássica – taqsim/tarab
Figurino: top e cinturão Cristtiano Ferreira; saia indefinida.
Evento: VI Encontro de Danças Ruschel, 2015
Filmagem e fotografia: não consta
Local/Location: Auditório Colégio São Luís, São Leopoldo/RS – Brasil

sosimby

2014 – Clássica com véu

Este meu solo foi muito marcante pra mim, pois ganhei a oportunidade por ter sido escolhida como Destaque no Curso de Formação Profissional. Essa escolha foi devido a eu ter sido uma das alunas que mais se desenvolveu ao longo do ano do curso, mas não necessariamente era a melhor, pois eu tinha colegas maravilhosas e com muito mais experiência que eu no ramo. 🙂

Escolhi uma música especial, porém resolvi me desafiar – pra variar – e dançar de improviso. Não saiu muito bem como eu esperava, até porque eu estava nervosíssima, e isso gerou uma agitação na dança que é nítida. Dançar de improviso é uma experiência maravilhosa e muito enriquecedora, pois te desafia, gera uma adrenalina louca e te exige uma boa expressividade, tudo muito diferente do que quando podemos coreografar bonitinho uma música. Mas é sempre bom ter um bom domínio do repertório e calma, né? hehehe

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (improviso/improvised)
Música: “Malfuf ala Westa”, Hossam Hamzy
Estilo: Dança do Ventre Clássica, com véu simples
Figurino: Atelier Sabrina Bastet, véu Atelier Licor de Piel
Evento: Mostra Artística Templo do Oriente, 2014
Filmagem e fotografia: (não consta)
Local: Teatro Sogipa, Porto Alegre/RS

sosimby

2014-2015

Restaurante Templo do Oriente Kebaberia

Nos meus primeiros anos de dança tive a oportunidade de dançar três vezes no restaurante Templo do Oriente Kebaberia, em Porto Alegre, especificamente no evento Balada Árabe, de Brysa Mahaila. É muito interessante ter esse tipo de experiência, para contrastar com a dinâmica de uma apresentação em palco.

~~~~~~~~~~~

Primeira vez que dancei em um restaurante! Nervosíssima, afinal, é uma energia e ambiente bem diferentes de um palco. Mas, apesar da inexperiência, fiquei muito feliz com o resultado, consegui expressar bem o que a música me passava e me conectei com o público. 😀

A Balada Árabe era um evento frequente feito por Brysa Mahaila, em seu antigo restaurante, o Boteco Oriente, em Porto Alegre, cujo principal objetivo era oferecer às alunas mais inexperientes a oportunidade de vivenciar esse tipo de público.

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra
Música: “Al Houriyah”(The Fairy), Ihsan Mounzer
Estilo: Dança do Ventre Clássica
Figurino: Atelier Zania Amaral (bordados por Anath Nagendra); Véu de atelier desconhecido.
Evento: Balada Árabe Templo do Oriente, agosto 2014
Filmagem: amadora

~~~~~~~~~~~

Minha segunda participação em uma Balada Árabe, de Brysa Mahaila. Dancei um solo clássico de Dança do Ventre, totalmente de improviso!

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (improviso/improvised)
Música: (nome/artista desconhecido)
Estilo: Dança do Ventre Clássica
Figurino: Atelier Cristtiano Ferreira (butiê/cinturão), saia e véu de atelier desconhecido
Evento: Balada Árabe Templo do Oriente, dezembro 2014
Filmagem: amadora

~~~~~~~~~~~

Minha terceira participação na Balada Árabe, de Brysa Mahaila. Desta vez dancei um solo de dança do ventre folclórica – um baladi, de improviso.

O baladi é uma das danças folclóricas egípcias mais conhecidas, pois concentra toda a essência emotiva e feminina típica da Dança do Ventre. Há um enfoque grande na leitura musical feita principalmente pelo quadril, e a expressividade geralmente é delicada e sem movimentos muitos intensos e amplos.

Bailarina(s): Anath Nagendra
Coreógrafa: Anath Nagendra (improviso/improvised)
Música: “Baladi Accordion Piece”, The Cairo Arabic Music Ensemble
Estilo: Folclore Árabe – Baladi
Figurino: por Khalidah
Evento: Balada Árabe Templo do Oriente, maio 2015
Filmagem: amadora

sosimby