O que você vê no espelho?

chants-field-mirror-4-by-alex-baker-photography

O que você vê quando olha pra essa superfície refletora? O que você sente quando olha pra imagem refletida? O que você pensa nesse momento? O que você gostaria de falar pra pessoa do outro lado?

Obviamente que estas não são perguntas simples, pois dependem muito do momento, de como estamos e como nos sentimos. Especialmente pra nós, mulheres, que vivenciamos tamanha montanha-russa hormonal todo mês.

Meu ponto aqui é gerar uma reflexão (hue) sobre o modo como nos percebemos, principalmente no que concerne nossa imagem. Como mulheres, recebemos uma pressão descomunal da sociedade em cima da nossa aparência, e, como dançarinas, inclui-se nisso a cobrança de uma imagem agradável em prol do trabalho.

Continue lendo “O que você vê no espelho?”

Anath Nagendra – a criação

16523845_1738695929489389_987321843_o

Na minha última postagem (aqui) falei um pouco sobre ter ou não um nome artístico, opinei sobre motivações e propósitos, dei dicas para o uso e também sobre as variadas formas de se usar um stage name.

Hoje, trago a história detrás do meu, como foi a minha decisão de ter um nome artístico, sobre seu propósito, a pesquisa por trás dele e também sobre a criação da marca.

Continue lendo “Anath Nagendra – a criação”

Nome artístico: ter ou não?

“Blind”

Quando se escolhe a vida de artista – seja como profissão ou como hobby –, em algum momento você topa com a questão de ter ou não um nome artístico, ou stage name, para os gringos. Geralmente isso ocorre no início da carreira, e é algo a ser considerado antes de “criar fama”, para que o nome desejado seja o que vai ser memorizado pelo público. Mudá-lo depois de anos pode ser complicado, pois terá que se trabalhar muito na divulgação da nova imagem sem perder os vínculos e contatos da anterior.

Algumas pessoas não se interessam por isso e mantém seu próprio nome, enquanto outras adotam algo fictício ou fantasioso. Há ainda aqueles que trocam por questões de praticidade ou publicidade, ou que alteram apenas algum detalhe ou parte. O nome artístico pode ser escolhido a esmo, ser pesquisado, ou até mesmo recebido pela professora/iniciadora.

Para aqueles que se interessam e gostam da ideia de ter um nome novo, específico para sua persona artística, é importante considerar alguns pontos antes de decidi-lo, para evitar situações constrangedoras, chacotas ou mesmo enjoar dele.

Continue lendo “Nome artístico: ter ou não?”